#Quarta Projeto: O Zoológico de Paris (Le Chevalier)

Category: Blogprojetos

O desenho abaixo saiu da minha caderneta de anotações. A maioria das minhas anotações é digital – utilizo o Scrivener para os meus textos e insiro tudo lá -, mas, na fase de projeto, muitas vezes prefiro o papel e lápis. Obviamente, isso se torna mais útil em Worldbuilding. A construção de um mundo é um processo complexo e divertido. Ao mesmo tempo em que você precisa se conectar com a realidade que deseja apresentar, também é necessário exercer a livre criatividade e deixar a imaginação fluir.

Um dos meus projetos atuais é o mundo de Le Chevalier, uma série de livros, contos e HQs (em breve! em breve!) que se passa em uma França alternativa Steampunk. Neste meu mundo, a França, impulsionada por Jules Verne, é a líder da Revolução Industrial e a principal potência do mundo. Além disso, para complicar ainda mais coisas – e deixá-las mais divertidas -, a minha Paris passou por um grande cataclisma: um terremoto arrasou a cidade em 1829 e boa parte dela foi reconstruída, deixando cicatrizes profundas na cidade, mudando sua geografia e, principalmente, sua hidrografia (há canais por toda a parte, formados pela inundação das famosas catacumbas de Paris).

Bom, nesta minha Paris, eu precisava de um zoológico para o segundo romance. E como não havia nenhum zoológico disponível – o livro se passa em 1867 e o principal zoológico de Paris só foi inaugurado em 1934 -, eu construí um. E como um capítulo inteiro se passaria ali dentro, eu tive que, literalmente, desenhar o dito cujo. Notem que o desenho não contempla o zoológico por inteiro, pois eu não precisava de outras seções do parque. Mas eu precisava ter noção de onde ficava cada jaula, cada acesso e a administração do parque. E nada melhor do que isso do que um desenho (mesmo que seja eu desenhando…).

E isso tudo brotou da minha cabeça, como em um passe de mágica? A resposta, obviamente, é non. No post da próxima semana, da onde surgiu este zoológico.

zooparis